Concurso Vídeo Aula – Priinstrua filmkonkurso

O texto que reproduzimos abaixo, para divulgação do concurso didáticoEsperanto-Leciono, nos foi enviado gentilmente pelo diretor da Seção Brasileira da Liga Internacional dos Instrutores Esperantistas, o professor de línguas Leyssester Miró, idealizador do engenhoso e auspicioso concurso. São suas as palavras a seguir: Legi plu

Abertas as inscrições para as novas turmas do curso básico de esperanto na Associação Zamenhof – – – Jam eblas aliĝi al la novaj klasoj de la baza kurso de Esperanto en la Asocio Zamenhof

As inscrições para as novas turmas de agosto já estão abertas!

Venha você também estudar esperanto conosco!

Conheça o idioma transnacional esperanto, com certeza você verá o mundo com outros olhos!

Preencha a ficha de inscrição clicando no endereço abaixo e venha para a Associação Zamenhof.

https://spreadsheets0.google.com/spreadsheet/viewform?formkey=dGFTR090WkprZjlXOFFweGVvRTg0aGc6MQ

Aula do curso básico, 1ª turma de 2011 - Leciono de la baza kurso - 1-a klaso de 2011
Aula do curso básico, 1ª turma de 2011            Leciono de la baza kurso – 1-a klaso de 2011

Carlos Alberto Alves, o criador do “Kurso de Esperanto” – – – Carlos Alberto Alves, la kreinto de la programo “Kurso de Esperanto”

Por Junior Bellé |

Carlos Alberto Alves tem 36 anos e mora em Brasília. Trabalha no serviço público federal e é formado em Ciências da Computação pela UFMT. Aprendeu o esperanto com 17 anos e já participou de vários congressos esperantistas pelo mundo. Ele é o brasileiro por trás do Kurso, software gratuito para o ensino da língua, disponibilizado no site kurso.com.br, no qual Carlos é também o mantenedor.

Através do site, Carlos coordena uma equipe internacional de professores que utilizam o Kurso em seus respectivos países. Conheça o trabalho, o homem, o idioma, um ideal.

O que é e por que estudar esperanto hoje?
O esperanto é uma língua criada para facilitar a comunicação entre os povos do mundo inteiro. Tem uma gramática simples e lógica e pode ser aprendida em pouco tempo. O esperanto não pretende substituir as línguas nacionais, mas apenas servir como meio de comunicação entre pessoas que falam línguas distintas. Pesquisas demonstraram que o estudo do esperanto ajuda a aprender outras línguas e a compreender a própria língua pátria. A grande vantagem de falar esperanto, contudo, está na possibilidade de se relacionar com pessoas de qualquer parte do mundo em uma atmosfera de fraternidade e igualdade de direitos, pois o esperanto pertence a todos os povos e países. Entre os esperantistas, não há a distinção entre falantes nativos e falantes estrangeiros.

Como foi produzido o software do Kurso?
O Kurso surgiu da idéia de unir duas ferramentas maravilhosas: o computador e o esperanto. Por ser regular, o esperanto pode ser aprendido, sem grandes esforços, com os recursos de multimídia dos modernos computadores. A primeira versão do curso, lançada no final de 2000, era apenas para os lusófonos. Hoje, o curso já está traduzido para mais de 30 línguas.

É realmente possível tornar-se fluente em esperanto com cursos on-line?
Cursos on-line são uma excelente opção para o aprendizado em geral. Com os atuais recursos tecnológicos, os cursos on-line estão conquistando a simpatia até mesmo dos acadêmicos mais conservadores. Para o aprendizado de línguas, os cursos on-line apresentam a vantagem da repetição, dos testes interativos e das salas de bate-papo (texto, áudio e vídeo). O esperanto, por sua regularidade gramatical, pode ser aprendido por meio de um curso on-line que dure cinco vezes menos que os cursos das demais línguas. Nesses nove anos de existência do “Kurso”, tive a oportunidade de conhecer várias pessoas que aprenderam a língua internacional com o meu curso on-line. A maioria delas apresentam uma fluência notável, além de um excelente domínio da gramática.

Há uma estimativa do numero de falantes do esperanto e do numero de pessoas que já fizeram o Kurso?
Um censo mundial ainda não foi realizado, dada a dispersão dos esperantistas pelo mundo. No entanto, várias foram as tentativas de estimar o número de falantes da língua. As estimativas variam entre 10 milhões e 100 mil falantes. A estimativa mais frequente é de 1 milhão de esperantófonos. A maioria dessas pessoas usa o esperanto como segunda ou terceira língua. Há, no entanto, um considerável número de pessoas que falam o idioma desde a primeira infância. São filhos de casais que se conheceram por meio do esperanto e que passaram a usar a língua diariamente, no âmbito familiar.

O Kurso é baixado, em média, 200 vezes por dia. Se multiplicarmos esse número pelo tempo de existência do Kurso, chegamos a cerca de 650 mil downloads. Se somarmos os CDs distribuídos em revistas especializadas em informática e idiomas, teremos cerca de 1 milhão de potenciais usuários do curso.

Quais são os meios para se treinar a língua, para falar esperanto com outras pessoas?
O esperanto é praticado principalmente nos encontros que acontecem regularmente nos níveis local, nacional e internacional. No Brasil, tivemos o congresso de Juiz de Fora, este ano. O próximo acontecerá em Campo Grande-MS, em julho de 2010. O Congresso Mundial de Esperanto também acontece anualmente. O mais recente foi o de Byalistok, Polônia (julho de 2010). A internet abriu uma nova janela para a comunicação internacional em esperanto. Existem numerosas listas de discussão e salas de bate-papo na língua internacional. Até a Wikipedia tem a sua seção em esperanto, que está entre as mais ativas.

Por que você buscou aprender esperanto?
Inicialmente, foi por curiosidade. Mas, à medida que avançava no aprendizado, mais me encantava pela língua. Quando entrei em contato com a comunidade esperantista, percebi que ali se processava um dos mais notáveis fenômenos sociais: a criação de um mundo sem barreiras linguísticas. Senti-me, imediatamente, um cidadão do mundo.

O esperanto faz diferença no currículo? E na vida?
O esperanto ainda não conta pontos para concurso público. Tampouco é exigido para a contratação no setor privado. Mas, com certeza, é um “plus” no currículo de qualquer profissional. Já soube de casos em que a menção do esperanto no currículo foi decisivo para a contratação. Chamou a atenção do entrevistador e deu a oportunidade ao entrevistado de mostrar que tem pensamento cosmopolita, o que é muito apreciado nestes tempos de globalização. No meu caso, o esperanto ajudou-me a compreender melhor o funcionamento das línguas, com consequente melhoria no domínio da gramática portuguesa, e colocou-me em contato com pessoas interessantes de diversas partes do mundo, algo que eu ainda não havia alcançado, mesmo já tendo domínio, à época, da língua inglesa.

El la paĝaro:
http://www.negodito.com/o-homem-do-kurso/

Festival de Cinema Esperantista acontecerá em São Paulo – – – Esperanta Kinofestivalo okazos en San Paŭlo

O Festival de Cinema Esperantista é um festival de cinema internacional independente, no idioma internacional Esperanto.

Definição 1: O festival de cinema rompe imagens vigentes do mundo, elimina estereótipos e prova que não existem barreiras para a comunicação.

Definição 2: Nós vivemos em um mundo cheio de limites. No início nossos pais e depois a sociedade nos ditam como viver em um espaço fechado. Obrigam-nos a pensar de forma estereotipada para nos controlar mais facilmente. A sociedade por vezes nos obriga a agir de tal forma que às vezes começamos a afrontar a natureza. Através da arte cinematográfica é possível apresentar e transmitir ideias corajosas às pessoas simples. O cinema é uma arte tão expressiva, que ela toca a todos, faz pensar e dá um outro nível de pensamento.

Difino3: A base do Festival de Cinema é propiciada pela apreciação recíproca a diversas línguas e culturas, igualdade entre línguas e povos, diversidade cultural.

Objetivos
  • Apoiar o cinema em Esperanto e estimular autores a criar obras audiovisuais modernas.
  • Mostrar uma utilidade prática da língua internacional Esperanto como justo portador de culturas nacionais.
  • Apresentar um cinema independente, sem censura linguística, política ou de qualquer espécie.

Tarefas

  • Dar chance a autores iniciantes de apresentar-se no cinema do Esperanto.
  • Na mostra competitiva escolher as melhores obras.
  • Lançar um evento cultural tradicional, popular e apreciado entre esperantistas e não-esperantistas.
  • Estabelecer um ambiente criativo de compreensão entre autores e o público

A língua de trabalho do festival é o Esperanto.

Local e tempo

O primeiro Festival de Cinema acontecerá em São Paulo, Brasil, de 10 a 13 de Julho de 2011, durante o 8º Congresso Panamericano de Esperanto.

O sítio do Congresso está em: www.kongreso2011.org.

Os criadores

O iniciador do Festival de Cinema em Esperanto é Aleksander OSINCEV com a união de criação “Filmoj sen limoj” (Filmes sem Fronteiras). Os autores do conceito do Festival são Aleksander OSINCEV, Jaroskav KIKAVEC, Darja OBRAZCOVA, Sergej KOROL e Svetozar LAPSHIN.

Equipe organizadora

A equipe organizadora é formada por um Diretor do Festival, um júri internacional, a união criativa “Filmoj sen limoj” e a organização local.

O Diretor administra a atividade de todos os grupos, auxilia no contato com distribuidores, contata diretores e parceiros, resolve questões gerais, estratégicas e financeiras, administra o portal do Festival de Cinema.

O júri internacional é composto por artistas populares do Esperanto. O júri internacional assiste aos materiais em vídeo enviados para a mostra competitiva, avalia segundo critérios previamente discutidos e estabelecidos e escolhe os ganhadores em cada categoria.

“Filmoj sen limoj” administra o tratamento dos filmes, a tradução e a dublagem em Esperanto. Este grupo, junto com o principal parceiro local, escolhe para o programa não-competitivo.

A equipe local é composta por voluntários esperantistas, do país e da cidade que sedia o Festival de Cinema. Esse grupo é formado por dois times: um de divulgação e outro técnico, que se ocupa do Festival em si. Os grupos auxiliam na busca do local adequado, no transporte, recepção e acomodação de convidados.

___________________________________________________________________

Esperanta Kinofestivalo estas internacia sendependa kinofestivalo en internacia lingvo Esperanto.

Difino1: La kinofestivalo rompas ekzistantajn imagojn pri la mondo, forigas stereotipojn, kaj pruvas, ke ne ekzistas baroj por komunikado.

Difino2: Ni vivas en la mondo plenplena de limigoj. Komence gepatroj kaj poste la socio diktas al ni kiel vivi en fermita spaco. Oni devigas nin pensi steriotipe por poste pli facile regi nin. La socio foje devigas nin agi tiel, ke tio foje komencas kontraŭstari la naturon. Pere de kinematografio eblas prezenti kaj transdoni kuraĝajn ideojn al kutimaj homoj. Kino estas tiom esprimplena arto, ke ĝi tuŝas ĉiun, devigas pensi kaj donas alian nivelon de pensado.

Difino3: La bazon de kinofestivalo kreas reciprokan estimon al diversaj lingvoj kaj kulturoj, egalecon inter lingvoj kaj popoloj, kaj kulturan diversecon.

Celoj
  • Subteni Esperanto-kinarton kaj motivigi aŭtorojn krei modernajn sonvidajn verkojn.
  • Montri praktikan utilon de la internacia lingvo Esperanto kiel justa peranto de naciaj kulturoj.
  • Prezenti sendependan kinarton sen ajna lingva, politika kaj aliaj cenzuroj.
Taskoj
  • Doni ŝancon al komencantaj aŭtoroj montri sin en Esperanto-kinarto.
  • En konkurado elekti plej bonajn verkojn.
  • Fondi tradician kulturan eventon, popularan kaj estimatan inter esperantistoj kaj neesperantistoj.
  • Starigi krean etoson de kompreno inter aŭtoroj kaj publiko.

La labora lingvo de festivalo estas Esperanto.

Loko kaj tempo

La unua Kinofestivalo okazos en San-Paŭlo (Brazilo)ekde la 10-a ĝis la 13-a de julio 2011 dum TAKE.

La retejo de TAKE: www.kongreso2011.org.

Fondintoj

La fondinto de Kinofestivalo en Esperanto estas Aleksander OSINCEV kaj krea unuiĝo Filmoj sen limoj. Aŭtoroj de koncepto de Kinofestivalo estas Aleksander OSINCEV, Jaroskav KIKAVEC, Darja OBRAZCOVA, Sergej KOROL, Svetozar LAPŜIN.

Organiza teamo

Organiza teamo konsistas el Direktoto de la Kinofestivalo, internacia ĵurio, krea unuiĝo Filmoj sen limoj kaj loka organiza teamo.

Direktoro de la Kinofestivalo administras agadon de ĉiuj grupoj, subtenas kontakton kun distribuantoj, kontaktas reĝisorojn kaj partnerojn, solvas ĝeneralajn, strategiajn kaj financajn demandojn, administras retejon de la Kinofestivalo.

Internacia ĵurio konsistas el estimataj E-artistoj. Internacia ĵurio spektas la alsenditajn videajn materialojn en konkursaj programoj, pritaksas ilin laŭ antaŭe pridiskutitaj kaj pretigitaj kriterioj kaj elektas gajnintojn en ĉiu konkursa nomumo.

Filmoj sen limoj administras prilaboron de filmoj, tradukon kaj dubladon en Esperanton. Tiu ĉi grupo kune kun la ĉefa surloka partnero elektas filmojn por nekonkursa programo.

Loka organiza teamo konsistas el esperantistoj-volontuloj, loĝantaj en la lando kaj urbo de la Kinofestivalo. Tiu grupo konsistas el du teametoj: unu informa kaj dua teknika. La informa okupiĝas pri informado kaj la teknika pri la Festivalo mem. La grupoj helpas trovi taŭgan ejon, helpas pri transportado, akceptas gastojn kaj loĝigas ilin.

El la retpaĝo:
http://kinofestivalo.org/pt/about/

Festival de equívocos assolou a CBN – – – Miskomprenada festivalo dezertigis radion CBN

O dia 19 de novembro ficou marcado na história como o dia em que comentaristas da CBN deram um show de equívocos sobre o esperanto, em  tom de grande “sapiência”.
Os senhores Cony (esse é reincidente!), Xexéo e Viviane Mosé, respondendo à pergunta proposta – Esperanto pode ser nova disciplina obrigatória no ensino regular? – e às perguntas do apresentador do programa, se posicionaram contra o esperanto, um direito deles, mas com argumentos frágeis demais.
Em primeiro lugar, a própria pergunta está errada. É inacreditável que uma emissora de rádio que “toca notícias”, segundo o seu slogan,  e por isso deve ter um grande quadro de jornalistas trabalhando em tempo integral, consegue não saber que o projeto de lei do Senador Cristovam Buarque não propõe esperanto como matéria obrigatória, mas optativa. Os equívocos começaram aí. Mas vamos ouvir os comentaristas, antes de continuar a análise do blog que toca esperanto:

Comentários dos comunicadores Cony, Xexéo e Mosé.
Aos comentários:

1- O apresentar faz a primeira pergunta, ao Cony, e comete o primeiro equívoco: “trocar o inglês pelo esperanto” não tem nada a ver com a proposta do esperanto, se bem que com o tempo, quando as vantagens do esperanto estiverem bem claras para todos, inclusive para os comentaristas da CBN, é claro que o inglês vai continuar cumprindo o seu papel de lingua nacional e o esperanto será a segunda língua de cada povo. Mas isso vai acontecer aos poucos, à medida em que  os que perceberem nele as qualidades necessárias de uma língua franca ideal, o adotarem como língua de trabalho, ate que num determinado momento da história, o esperanto vai deslanchar intensamente.

2- Na resposta, Cony, que é reincidente em cometer equívocos sobre o esperanto, diz que ele é uma língua fabricada. Ainda não aprendeu que:
a) O esperanto é uma língua planejada, e por isso extremamente lógica, simples, rica e fácil;
b) As línguas nacionais são convenções humanas, e elas é que foram “fabricadas”, construídas no lufa-lufa do dia-a-dia dos povos. Ou ele acha que os homem das cavernas já falavam inglês?
c) As gramáticas das línguas nacionais foram compiladas, muito depois de a língua ser falada (aqui vai um link informando quando foi produzida a primeira gramática de uma língua  na história da civilização humana:  http://pt.wikipedia.org/wiki/P%C4%81nini ). A primeira gramática da língua portuguesa conhecida é da autoria de Fernão de Oliveira, e foi publicada em Lisboa, em 1536.
A gramática do esperanto foi planejada. Qual a diferença? Enquanto as gramáticas de línguas que já eram faladas foram compiladas, isso é, seus autores extraíram da língua falada as regras gramaticais, e por isso há tantas irregularidades e exceções, a gramática do esperanto foi genialmente elaborada com apenas 16 regras regulares,  simplificando o aprendizado da língua.
d) As palavras das línguas nacionais também foram convencionadas, “fabricadas” pelo homem, só que de forma aleatória, no dia-a-dia, enquanto no esperanto elas foram escolhidas pelo seu iniciador e adptadas  ao sistema regular de terminações do esperanto. É una das características geniais do esperanto.

3- Em seguinda Cony se mostra muito confuso, mas é possível entender que ele diz que uma língua se aprende na vida e não na escola. Então quer dizer que o Cony é contra o ensino de línguas na escola?

4- Cony historia brevemente o sobe e desce da hegemonia das línguas e registra que o poderio econômico e militar da China está promovendo o mandarim. Nisso ele tem razão. Como ele reconheceu que o francês cedeu lugar ao inglês pelo fato de a França ter cedido lugar aos Estados Unidos como grande potência, será que ele está admitindo que ao invés do inglês, nós teremos que aprender mandarim como língua franca, já que a China deverá suplantar o Estados Unidos? E se o Brasil seguir a China de perto, o português terá mais chance que o mandariam de se tornar língua franca, pois é mais fácil que o mandarim para os povos ocidentais? O esperanto não seria uma solução definitiva e justa para todos os povos?
5- Chegou a vez do Xexéo, que reconheceu que o esperanto é uma boa idéia. Poderia ter ficado por aí, isse apesar disso o esperanto é inútil, porque o inglês, segundo ele, já conquistou definitivamente o lugar de língua internacional, ignorando o sobe e desce das línguas conforme o momento histórico, como se a história tivesse parado, sem ascensão de novos países e decadência de  outros.

6- Em seguida Xexéo repetiu o bordão “ninguém fala esperanto”. Disse que quem aprende esperanto é  para conversar com o colega que também estuda esperanto. Disse que ninguém fala esperanto na Argentina, China etc.
Em primeiro lugar, é claro que quem aprende esperanto e para conversar com outras pessoas que também o aprende, não apenas no mesmo curso, mas em cursos organizados pelo mundo afora. Óbvio demais, embora já exista muitos casos de crianças que aprendem esperanto do berço. Aqui mesmo no Brasil temos muitos casos assim, sendo o mais conhecido o do menino que traduziu o livro “O menino maluquinho”, do Ziraldo, do português para o esperanto.
Quanto à China, o Xexéo precisa saber que lá o esperanto é ensinado em várias universidades e que a Rádio Pequim transmite em esperanto: http://esperanto.cri.cn/ . E mais: temos uma empresa de ímportação e exportação na China, que usa o esperanto como uma de suas línguas de trabalho: http://www.davinci-china.cn/web/index.htm , há 10 anos.

7- Para finalizar, Xexéo disse que o esperanto foi ultrapassado pelo desenvolvimento da humanidade. Nós achamos justamente o contrário, que o desenvolvimento da humanidade vai levar à adoção do esperanto como segunda língua de todos os povos.

8- Para completar o grupo, chega a vez da Viviane Mosé. Começa dizendo que para se estabelecer uma cultura são necessários milhares de anos. Pois nesse campo o esperanto mostra sua enorme eficiência: iniciada em 1887, tem uma riquíssima literatura, original e traduzida, tem música, tem eventos tracionais, tem história, tem tradições. É como se o esperanto fosse um bebê prodígio de três meses apenas, que tocasse piano, saxofone, falasse 10 línguas e resolvesse problemas de cálculo integral e diferencial de cabeça.

9- Mosé disse em seguida que se o esperanto tivesse que dar certo, já teria dado. Precisa ler aqui no blog o artigo Esperanto: sucesso em todos as frentes de uma língua viva (http://esperanto-na-midia.blogspot.com/2010/11/lingua-que-nao-deu-certoesperanto.html).

10- Para finalizar se mete a criticar o senador Cristovam Buarque, autor do projeto de lei em discussão, baseado no equívoco que a o esperanto será mais uma matéria obrigatória, quando o projeto de lei do senado a propõe como lingua optativa, se houver interesse da comunidade. Assim: se os alunos de uma determinada escola tiverem interesse e  se houver professor de esperanto disponível, o esperanto poderá se tornar matéria optativa naquela escola. Muito democrático e de acordo com o desejo da comunidade de cada escola, ao contrário do inglês que é muito mal ensinado e pouca gente consegue aprender em escola pública. Nesse aspecto, o esperanto, como língua propedêutica, tem muito a colaborar com a melhoria do ensino de línguas no Brasil.

Lamentamos muito que o nível desses comentários. Quando é que a CBN vai se redimir, entrevistando o senador Cristovam Buarque ou pessoas que conheçam o assunto?
Para finalizar, sugerimos que a CBN se inscreva na nossa Sala de Imprensa, para receber releases, matérias e conseguir chegar a pessoas que saibam informar melhor sobre essa questão.

 

Do blog Intraespo:
http://esperanto-na-midia.blogspot.com

Palestras no Sul de Minas foi um Sucesso – Prelego en Sudminasa regiono estis Sukcesa.

As duas palestras dadas em nossa região pela professora Petra foi um sucesso.

Esperanto, viagens e a Hungria foram temas das palestras da simpática professora, divulgando a língua internacional ela mostrou a simplicidade do idioma e as utilidades de se aprender o esperanto.

Mais de 80 pessoas participaram do evento em Silvianópolis e 48 pessoas em Pouso Alegre.

A Associação Zamenhof agradece a todos que participaram das palestras e especialmente a professora Petra pelas palestras tão instrutivas.

Dankon Petra!

_________________________________________________________________________________________

La du prelegoj faritaj de profesorino Petra en nia regiono estis sukcesa.

Esperanto, vojaĝoj kaj Hungario estis la temoj de la prelegoj de la simpatia instruistino, disvastigante la internacia lingvo ŝi montris la simplecon de la lingvo kaj la utilecojn en la lernado de Esperanto.

Pli ol 80 homoj ĉeestis en la evento en Silvianopolo kaj 48 homoj en Pouso Alegre.

Asocio Zamenhof tre dankas al ĉiuj partoprenantoj kaj oni ĉefe dankas al profesorino Petra por la instruaj prelegoj!

Dankon Petra!

La fotaro:

Prelego en Silvianopolo - Palestra em Silvianópolis

Prelego en Silvianopolo - Palestra em Silvianópolis

Petra prelegas en Poŭzalegro

Petra prelegas en Poŭzalegro - Petra palestra em Pouso Alegre

La publiko en Poŭzalegro

Prelego en Poŭzalegro - Palestra em Pouso Alegre

Silvianópolis

Silvianópolis

Silvianópolis

Silvianópolis

Petra, Maria Antonia kaj la urbestro de Silvianopolo - Petra, Maria Antonia e o prefeito de Silvianópolis

Petra, Maria Antonia kaj la urbestro de Silvianopolo – Petra, Maria Antonia e o prefeito de Silvianópolis

Pouso Alegre

Pouso Alegre
Poŭzalegro

Poŭzalegro

Palestra em Silvianópolis foi um Sucesso – Prelego en Silvianopolo estis Sukcesa

Mais de 80 pessoas compareceram ontem na Escola Estadual Magalhães Carneiro na cidade de Silvianópolis para prestigiar a palestra da Profª. Petra Smideliusz. Petra palestrou sobre a Hungria e o esperanto. Legi plu

12 perguntas sobre o Esperanto – 12 demandoj pri Esperanto

1. O que é esperanto?
Esperanto é um instrumento de comunicação útil para pessoas de línguas diferentes.
O mundo está se tornando mais e mais internacional. Pessoas, dinheiro e bens se tornam mais e mais livres. Entretanto, como as pessoas falam línguas diferentes e que são difíceis de se aprender, os pensamentos não podem se tornar totalmente livres. O esperanto é uma solução que cria muito bem uma ponte sobre as barreiras lingüísticas. Quem aprende esperanto, ao mesmo tempo diz: “Eu estou aberto ao mundo.” Legi plu

4-a numero Fanzeranto – 4º número Fanzeranto

Saluton karaj geamikoj!

Jen la 4-a numero de Fanzeranto.
Eis o 4º número de Fanzeranto.

Legebla versio:
Versão de leitura:
fanzeranto_4

Presebla versio:
Versão para impressão:
fanzeranto_4_presebla